Publicidade

A luz do projetor deverá voltar a brilhar em telas há muito tempo desativadas no interior de Minas Gerais. 

22/04/2015 00:27
Cine Rio Branco, fechado desde 1998, tinha a terceira maior tela da América do Sul -
Foto: 
Fernanda Schuindt/Arquivo Hoje em Dia,

Uma parceria da Secretária de Estado da Cultura com a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) traz, em seu bojo, uma promessa e tanto: reabrir as portas de aproximadamente 300 salas espalhadas pelas várias regiões do Estado.
O programa, confirmado pelo secretário de Cultura, Angelo Oswaldo, em entrevista ao Hoje em Dia, deve ser anunciado nos próximos dias, após a conclusão de um levantamento realizado pela pasta. “Nossa produção audiovisual hoje é forte, com a criação de mecanismos que a sustentam, mas ainda enfrentamos algumas dificuldades de acesso”, observa Oswaldo.
Ele ainda espera o término da pesquisa para falar em números, especialmente os relacionados às cifras, que serão responsáveis por reativar cinemas que, como frisa Angelo Oswaldo, foram engolidos, no curso do tempo, pela especulação imobiliária e pelo descaso cultural. Alguns viraram bancos e supermercados.
O secretário assinala também a pluralidade de usos das salas que serão reabertas. “Como são espaços grandes, poderão ser usados como sede para conferências, encontros e reuniões, contribuindo para movimentar a vida cultural nesses locais”.
Na área do cinema, ele espera que a ação resulte em formação de público, em especial para o cinema brasileiro, e na criação de cineclubes. Devido à especulação imobiliária e à disponibilidade de outras mídias para exibição de filmes, principalmente em homevideo, dezenas de cidades do interior não dispõem hoje de nenhum cinema.

“MAGIA DO CINEMA”

Essa carência está por trás de projetos como o “Magia de Cinema”, que realizará sessões a gratuitas em pequenos municípios, desta terça-feira (21) a 2 de maio. Ao todo, são dez cidades dos vales do Jequitinhonha e Mucuri, começando por Monjolos.  

Leia mais no Jornal Hoje em Dia

Cinema: acordo pode reativar cerca de 300 salas espalhadas por várias regiões de Minas

A luz do projetor deverá voltar a brilhar em telas há muito tempo desativadas no interior de Minas Gerais. 

22/04/2015 00:27
Cine Rio Branco, fechado desde 1998, tinha a terceira maior tela da América do Sul -
Foto: 
Fernanda Schuindt/Arquivo Hoje em Dia,

Uma parceria da Secretária de Estado da Cultura com a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) traz, em seu bojo, uma promessa e tanto: reabrir as portas de aproximadamente 300 salas espalhadas pelas várias regiões do Estado.
O programa, confirmado pelo secretário de Cultura, Angelo Oswaldo, em entrevista ao Hoje em Dia, deve ser anunciado nos próximos dias, após a conclusão de um levantamento realizado pela pasta. “Nossa produção audiovisual hoje é forte, com a criação de mecanismos que a sustentam, mas ainda enfrentamos algumas dificuldades de acesso”, observa Oswaldo.
Ele ainda espera o término da pesquisa para falar em números, especialmente os relacionados às cifras, que serão responsáveis por reativar cinemas que, como frisa Angelo Oswaldo, foram engolidos, no curso do tempo, pela especulação imobiliária e pelo descaso cultural. Alguns viraram bancos e supermercados.
O secretário assinala também a pluralidade de usos das salas que serão reabertas. “Como são espaços grandes, poderão ser usados como sede para conferências, encontros e reuniões, contribuindo para movimentar a vida cultural nesses locais”.
Na área do cinema, ele espera que a ação resulte em formação de público, em especial para o cinema brasileiro, e na criação de cineclubes. Devido à especulação imobiliária e à disponibilidade de outras mídias para exibição de filmes, principalmente em homevideo, dezenas de cidades do interior não dispõem hoje de nenhum cinema.

“MAGIA DO CINEMA”

Essa carência está por trás de projetos como o “Magia de Cinema”, que realizará sessões a gratuitas em pequenos municípios, desta terça-feira (21) a 2 de maio. Ao todo, são dez cidades dos vales do Jequitinhonha e Mucuri, começando por Monjolos.  

Leia mais no Jornal Hoje em Dia

Nenhum comentário:

Postar um comentário