Animais estão sendo envenenados em Campanha, MG - ALÔ ALÔ CIDADE

Publicidade

A população está revoltada. Donos dos animais pedem por justiça.

24/06/2015 00:15
Cão ''Kratus'' não resistiu e morreu no quintal - Foto: Priscila Santos


A história revoltou a população Campanhense, depois que a proprietária desabafou na redes sociais, o caso de seu cachorro da raça labrador pós ser envenenado e morto nesta segunda-feira (22).
Priscila Santos chora, ao contar sobre o caso - Foto: Alô Alô Cidade

Procurada, a proprietária do animal, a cabeleireira Priscila Santos, moradora do bairro Chapada, que cedeu entrevista ao Alô Alô Cidade, contou que, o seu cachorro ''Kratus'', como de costume, sai todos os dias na rua para dar uma volta com a supervisão de seu Pai, Sr. Paulo Fernando, que levanta cedo para o trabalho por volta das 5h, neste intervalo, que tudo aconteceu. 

Pedaços dos pães que o suspeito levou em sua caminhada e que será analisada - Foto: Priscila Santos
Ainda segundo a Priscila, o seu pai, percebeu que o cachorro ''Kratus'', estava com algo na boca semelhante a um pão e logo próximo, um senhor que, já é conhecido pela vizinhança, estava com a sacola cheia do mesmo alimento e estaria jogando no chão para alimentar os demais animais que ali se encontravam. O seu pai, logo correu e tomou pedaços do pão do ''kratus'', pois ficou preocupado, porque os demais animais que comeu, estavam reagindo de maneira diferente,, depois de ter ingerido os pães; mas já era tarde de mais, o labrador já tinha ingerido um pouco do mesmo alimento e instantaneamente passou mal. 

Antes de morrer ele agonizou muito - Foto: Priscila Santos

''Foi um corre, corre, para tentar salvar o cachorro'', disse a Priscila, mas em vão, eles tentaram com vários métodos a reanimar o bichinho. Eles correram com o animal para o veterinário, onde lá, foi medicado e liberado em seguida. Ainda de acordo com a Priscila, depois da medicação e liberação do seu cão para voltar para casa e orientada pelo veterinário, o ''Kratus'', depois de um tempo no quintal, acabou, reagindo novamente com o suposto veneno em seu organismo, já sem forças, veio a cair da escada. A Priscila presenciou no quintal de sua casa o cachorro agonizando, ''viu nos olhos de seu cachorro o pedido de socorro'' e com isso, ela correu pra rua gritando, pedindo ajuda e ligando para o seus parentes; logo em seguida o seu tio e o veterinário compareceram, tentaram reanimar, mas o cãozinho acabou falecendo ali mesmo, no quintal de sua casa. 

Local onde foi sepultado o cãozinho - Foto: Alô Alô Cidade
Priscila e Kratus - Foto: Priscila Santos

A família, resolveu sepultar o ''Kratus'' no quintal da sua casa, para sentir mais próximo do animal.

O Tio da Priscila, Cláudio Luiz Gloria, conseguiu vários pedaços do mesmo pão que o ''Kratus'' comeu e que foi dispensado pelo suspeito. Os pedaços foram levados para a Vigilância Sanitária da cidade para analise se realmente o que está dentro, o recheio, se trata de veneno.
Várias testemunhas viram o suspeito e confirmaram que é a mesma pessoa que vem fazendo isso no bairro. O homem, faz caminhadas todos os dias na mesma região e é conhecido por todos ali.

A Polícia Militar foi acionada e compareceu no local, onde as vítimas/proprietários do animal, fizeram o boletim de ocorrência. As vítimas com dados do suspeito, a PM, descolocou até a residência do mesmo, onde indagado, negou ter feito a crueldade. 

''Agora estará na ''mãos da justiça'' para resolver e punir o verdadeiro autor desta crueldade!''

''-Todos amavam o ''Kratus'', era uma criança, fazia parte da família e todos os vizinhos brincavam com ele!'' Priscila Santos.



O caso chamou atenção da TV Record  - Fotos: Alô Alô Cidade

Outros caso semelhantes vem acontecendo, desde o começo do anos segundo os vizinhos e moradores do bairro. Gatos e cães estão sendo cruelmente assassinado com venenos.

Vídeo:




Facebook:

Assassino tem que pagar!
Posted by Alô Alô Cidade on Segunda, 22 de junho de 2015

Sobre a Lei:
Lei de Crimes Ambientais - Lei 9605/98 | Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998
Matar cachorro - ou qualquer outro animal - é crime. Não importa se o animal é doméstico, domesticado, silvestre, nativo ou exótico. O que trata disso é o artigo 32, da Lei dos Crimes Ambientais, de 1998. A lei prevê detenção de três meses a um ano, além de multa, para quem "praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar" qualquer tipo de animal. Se houver a morte do bichinho, a pena aumenta até um terço. Quem praticar "experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos" também pode sofrer a mesma condenação. #ficaadica

Da redação: ALÔ ALÔ CIDADE

Animais estão sendo envenenados em Campanha, MG

A população está revoltada. Donos dos animais pedem por justiça.

24/06/2015 00:15
Cão ''Kratus'' não resistiu e morreu no quintal - Foto: Priscila Santos


A história revoltou a população Campanhense, depois que a proprietária desabafou na redes sociais, o caso de seu cachorro da raça labrador pós ser envenenado e morto nesta segunda-feira (22).
Priscila Santos chora, ao contar sobre o caso - Foto: Alô Alô Cidade

Procurada, a proprietária do animal, a cabeleireira Priscila Santos, moradora do bairro Chapada, que cedeu entrevista ao Alô Alô Cidade, contou que, o seu cachorro ''Kratus'', como de costume, sai todos os dias na rua para dar uma volta com a supervisão de seu Pai, Sr. Paulo Fernando, que levanta cedo para o trabalho por volta das 5h, neste intervalo, que tudo aconteceu. 

Pedaços dos pães que o suspeito levou em sua caminhada e que será analisada - Foto: Priscila Santos
Ainda segundo a Priscila, o seu pai, percebeu que o cachorro ''Kratus'', estava com algo na boca semelhante a um pão e logo próximo, um senhor que, já é conhecido pela vizinhança, estava com a sacola cheia do mesmo alimento e estaria jogando no chão para alimentar os demais animais que ali se encontravam. O seu pai, logo correu e tomou pedaços do pão do ''kratus'', pois ficou preocupado, porque os demais animais que comeu, estavam reagindo de maneira diferente,, depois de ter ingerido os pães; mas já era tarde de mais, o labrador já tinha ingerido um pouco do mesmo alimento e instantaneamente passou mal. 

Antes de morrer ele agonizou muito - Foto: Priscila Santos

''Foi um corre, corre, para tentar salvar o cachorro'', disse a Priscila, mas em vão, eles tentaram com vários métodos a reanimar o bichinho. Eles correram com o animal para o veterinário, onde lá, foi medicado e liberado em seguida. Ainda de acordo com a Priscila, depois da medicação e liberação do seu cão para voltar para casa e orientada pelo veterinário, o ''Kratus'', depois de um tempo no quintal, acabou, reagindo novamente com o suposto veneno em seu organismo, já sem forças, veio a cair da escada. A Priscila presenciou no quintal de sua casa o cachorro agonizando, ''viu nos olhos de seu cachorro o pedido de socorro'' e com isso, ela correu pra rua gritando, pedindo ajuda e ligando para o seus parentes; logo em seguida o seu tio e o veterinário compareceram, tentaram reanimar, mas o cãozinho acabou falecendo ali mesmo, no quintal de sua casa. 

Local onde foi sepultado o cãozinho - Foto: Alô Alô Cidade
Priscila e Kratus - Foto: Priscila Santos

A família, resolveu sepultar o ''Kratus'' no quintal da sua casa, para sentir mais próximo do animal.

O Tio da Priscila, Cláudio Luiz Gloria, conseguiu vários pedaços do mesmo pão que o ''Kratus'' comeu e que foi dispensado pelo suspeito. Os pedaços foram levados para a Vigilância Sanitária da cidade para analise se realmente o que está dentro, o recheio, se trata de veneno.
Várias testemunhas viram o suspeito e confirmaram que é a mesma pessoa que vem fazendo isso no bairro. O homem, faz caminhadas todos os dias na mesma região e é conhecido por todos ali.

A Polícia Militar foi acionada e compareceu no local, onde as vítimas/proprietários do animal, fizeram o boletim de ocorrência. As vítimas com dados do suspeito, a PM, descolocou até a residência do mesmo, onde indagado, negou ter feito a crueldade. 

''Agora estará na ''mãos da justiça'' para resolver e punir o verdadeiro autor desta crueldade!''

''-Todos amavam o ''Kratus'', era uma criança, fazia parte da família e todos os vizinhos brincavam com ele!'' Priscila Santos.



O caso chamou atenção da TV Record  - Fotos: Alô Alô Cidade

Outros caso semelhantes vem acontecendo, desde o começo do anos segundo os vizinhos e moradores do bairro. Gatos e cães estão sendo cruelmente assassinado com venenos.

Vídeo:




Facebook:

Assassino tem que pagar!
Posted by Alô Alô Cidade on Segunda, 22 de junho de 2015

Sobre a Lei:
Lei de Crimes Ambientais - Lei 9605/98 | Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998
Matar cachorro - ou qualquer outro animal - é crime. Não importa se o animal é doméstico, domesticado, silvestre, nativo ou exótico. O que trata disso é o artigo 32, da Lei dos Crimes Ambientais, de 1998. A lei prevê detenção de três meses a um ano, além de multa, para quem "praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar" qualquer tipo de animal. Se houver a morte do bichinho, a pena aumenta até um terço. Quem praticar "experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos" também pode sofrer a mesma condenação. #ficaadica

Da redação: ALÔ ALÔ CIDADE

Um comentário:

  1. NADA MAIS SE PODE FAZER PELO CÃOZINHO, PORÉM PODEMOS DAR UMA BELA SURRA NO VAGABUNDO QUE O VITIMOU.

    ResponderExcluir