Carcaças e gato sem cabeça são achados em São Lourenço, dizem moradores - ALÔ ALÔ CIDADE

Publicidade

Um mulher de São Lourenço encontrou carcaças de animais em terreno.
Gato sem cabeça foi achado morto em bairro, segundo voluntária em ONG.


19/09/2015 17:18
Carcaças de animais foram encontrados em bairro de São Lourenço (MG). (Foto: Denise Lago/ Patrulha Animal)

O aparecimento de rabos de animais em São Lourenço (MG) ainda é investigado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Maus-Tratos em Brasília (DF), no entanto, nesta semana foram registrados o aparecimento de esqueletos de animais em um bairro da cidade e também foi encontrado o corpo de um gato sem cabeça.

Os flagrantes dos animais foram feitos pela voluntária do grupo de proteção "Patrulha Animal", Denise Lage, que também foi quem encontrou as centenas de rabos de animais no último mês na cidade. "Nós achamos vários esqueletos de animais em sacos abandonados em um bairro da cidade nesta semana e agora [na quarta-feira] achamos um gato morto, sem a cabeça", disse.

De acordo com ela, são vários casos de maus-tratos registrados na cidade. "Eu só liguei para o investigador da Polícia Civil que está responsável pelo caso dos rabos encontrados e comuniquei onde os esqueletos e o gato foi achado. E fiz fotos também. Eu não tenho mais procurado a prefeitura ou a polícia, porque ninguém faz nada. Até hoje não se pronunciaram sobre o caso dos rabos, ou o resultado da perícia", criticou.

Esqueletos foram achados na cidade
(Foto: Denise Lago/ Patrulha Animal)
A reportagem tentou entrar em contato com a Polícia Civil de São Lourenço para saber sobre o caso, no entanto, o delegado responsável, Marcel Junqueira, não falou com a reportagem e nenhum investigador foi encontrado para falar sobre o aparecimento dos esqueletos e o resultado da perícia. A assessoria de imprensa da Polícia Civil de Minas Gerais também não tem informações sobre o caso.

Procurado, o assessor de comunicação da Prefeitura de São Lourenço, Luiz Claudio de Carvalho, explicou que a orientação dada aos moradores e a representantes de grupos de proteção animal é para que as informações sejam passadas diretamente à Polícia Civil. "Nestes casos, a prefeitura não tem o que fazer. Eu soube, pela internet, do aparecimento de carcaças de animais e também do suposto gato morto sem a cabeça, mas a orientação é procurar a polícia, sempre", esclareceu.

Ainda de acordo com ele, no caso das carcaças encontradas, se estiverem em terreno público, a Secretaria de Serviços Públicos faz a retirada, mas, no caso dos esqueletos terem sido encontrados em terrenos baldios particulares, não hpa oque o poder público fazer.

CPI investiga o aparecimento de rabos
O aparecimento dos rabos de animais em São Lourenço (MG) ainda intriga. No início do mês, quando membros da CPI se reuniram no município, o delegado que coordena o caso, Marcel Junqueira, disse que a hipótese mais provável é que o material tenha sido apenas depositado na cidade. "O que nos intriga é que nenhuma ocorrência de sumiço de animais ou mesmo de mutilação foi registrada na região. Tal fato indica que os rabos tenham sido apenas deixados na cidade. O que já foi comprovado é que não se tratam de gatos, mas sim de caudas de cachorros", disse.

Para o presidente da comissão, deputado Ricardo Izar (PSD-SP), a reunião que ocorreu em São Lourenço foi necessária porque o caso teve repercussão internacional. "Viemos a São Lourenço porque recebemos uma quantidade absurda de e-mails e ligações querendo saber mais sobre o caso, inclusive notificações de integrantes de associações de proteção aos animais de outros países. A divulgação do fato foi muito grande e, hoje, participamos de uma reunião produtiva que apontou que as investigações da polícia estão bem avançadas", contou o presidente da CPI.
Representantes da CPI dos maus-tratos se reuniram em São Lourenço. (Foto: Lúcia Ribeiro)


Entenda o caso
Os rabos de animais começaram a ser encontrados em um bairro de São Lourenço no dia 15 de agosto. Durante aquela semana, cerca de 500 caudas foram encontradas em sacos plásticos descartados em terrenos baldios. A Polícia Civil trabalhava com duas linhas de investigação. A primeira é de que os bichos teriam sido utilizados para fazer churrasco durante a Festa de Agosto, que foi realizada na cidade. A outra é de que eles poderiam ter sido utilizados em rituais de seitas religiosas.

Mais rabos foram encontrados na tarde desta
quinta-feira (3). (Foto: Patrulha Animal)
A perícia recolheu o material para análise e percebeu que a maioria dos rabos apresentava uma raspagem em forma de espiral, feita por algum tipo de máquina, mas até agora a Polícia Civil não soube dizer o que pode ter acontecido com os animais.

Um laudo preliminar feito por veterinários da prefeitura apontou que os rabos são na maioria de cães e que diferente do que se pensava, eram em torno de 150 e não 500. Além disso, o documento feito pela prefeitura descartou a hipótese levantada pela polícia de que os animais teriam sido comercializados como churrasco durante a "Festa de Agosto", que aconteceu na cidade dias antes do aparecimento das caudas. Segundo a análise, os animais foram sacrificados após a realização do evento.

Para tentar identificar responsáveis pelo surgimento de mais de 500 caudas de animais em terrenos baldios de São Lourenço (MG), o grupo "Patrulha Animal" lançou nas redes sociais uma campanha com recompensa de R$ 2 mil para quem tiver pistas sobre o possível autor das mortes.

Fonte: G1

Carcaças e gato sem cabeça são achados em São Lourenço, dizem moradores

Um mulher de São Lourenço encontrou carcaças de animais em terreno.
Gato sem cabeça foi achado morto em bairro, segundo voluntária em ONG.


19/09/2015 17:18
Carcaças de animais foram encontrados em bairro de São Lourenço (MG). (Foto: Denise Lago/ Patrulha Animal)

O aparecimento de rabos de animais em São Lourenço (MG) ainda é investigado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Maus-Tratos em Brasília (DF), no entanto, nesta semana foram registrados o aparecimento de esqueletos de animais em um bairro da cidade e também foi encontrado o corpo de um gato sem cabeça.

Os flagrantes dos animais foram feitos pela voluntária do grupo de proteção "Patrulha Animal", Denise Lage, que também foi quem encontrou as centenas de rabos de animais no último mês na cidade. "Nós achamos vários esqueletos de animais em sacos abandonados em um bairro da cidade nesta semana e agora [na quarta-feira] achamos um gato morto, sem a cabeça", disse.

De acordo com ela, são vários casos de maus-tratos registrados na cidade. "Eu só liguei para o investigador da Polícia Civil que está responsável pelo caso dos rabos encontrados e comuniquei onde os esqueletos e o gato foi achado. E fiz fotos também. Eu não tenho mais procurado a prefeitura ou a polícia, porque ninguém faz nada. Até hoje não se pronunciaram sobre o caso dos rabos, ou o resultado da perícia", criticou.

Esqueletos foram achados na cidade
(Foto: Denise Lago/ Patrulha Animal)
A reportagem tentou entrar em contato com a Polícia Civil de São Lourenço para saber sobre o caso, no entanto, o delegado responsável, Marcel Junqueira, não falou com a reportagem e nenhum investigador foi encontrado para falar sobre o aparecimento dos esqueletos e o resultado da perícia. A assessoria de imprensa da Polícia Civil de Minas Gerais também não tem informações sobre o caso.

Procurado, o assessor de comunicação da Prefeitura de São Lourenço, Luiz Claudio de Carvalho, explicou que a orientação dada aos moradores e a representantes de grupos de proteção animal é para que as informações sejam passadas diretamente à Polícia Civil. "Nestes casos, a prefeitura não tem o que fazer. Eu soube, pela internet, do aparecimento de carcaças de animais e também do suposto gato morto sem a cabeça, mas a orientação é procurar a polícia, sempre", esclareceu.

Ainda de acordo com ele, no caso das carcaças encontradas, se estiverem em terreno público, a Secretaria de Serviços Públicos faz a retirada, mas, no caso dos esqueletos terem sido encontrados em terrenos baldios particulares, não hpa oque o poder público fazer.

CPI investiga o aparecimento de rabos
O aparecimento dos rabos de animais em São Lourenço (MG) ainda intriga. No início do mês, quando membros da CPI se reuniram no município, o delegado que coordena o caso, Marcel Junqueira, disse que a hipótese mais provável é que o material tenha sido apenas depositado na cidade. "O que nos intriga é que nenhuma ocorrência de sumiço de animais ou mesmo de mutilação foi registrada na região. Tal fato indica que os rabos tenham sido apenas deixados na cidade. O que já foi comprovado é que não se tratam de gatos, mas sim de caudas de cachorros", disse.

Para o presidente da comissão, deputado Ricardo Izar (PSD-SP), a reunião que ocorreu em São Lourenço foi necessária porque o caso teve repercussão internacional. "Viemos a São Lourenço porque recebemos uma quantidade absurda de e-mails e ligações querendo saber mais sobre o caso, inclusive notificações de integrantes de associações de proteção aos animais de outros países. A divulgação do fato foi muito grande e, hoje, participamos de uma reunião produtiva que apontou que as investigações da polícia estão bem avançadas", contou o presidente da CPI.
Representantes da CPI dos maus-tratos se reuniram em São Lourenço. (Foto: Lúcia Ribeiro)


Entenda o caso
Os rabos de animais começaram a ser encontrados em um bairro de São Lourenço no dia 15 de agosto. Durante aquela semana, cerca de 500 caudas foram encontradas em sacos plásticos descartados em terrenos baldios. A Polícia Civil trabalhava com duas linhas de investigação. A primeira é de que os bichos teriam sido utilizados para fazer churrasco durante a Festa de Agosto, que foi realizada na cidade. A outra é de que eles poderiam ter sido utilizados em rituais de seitas religiosas.

Mais rabos foram encontrados na tarde desta
quinta-feira (3). (Foto: Patrulha Animal)
A perícia recolheu o material para análise e percebeu que a maioria dos rabos apresentava uma raspagem em forma de espiral, feita por algum tipo de máquina, mas até agora a Polícia Civil não soube dizer o que pode ter acontecido com os animais.

Um laudo preliminar feito por veterinários da prefeitura apontou que os rabos são na maioria de cães e que diferente do que se pensava, eram em torno de 150 e não 500. Além disso, o documento feito pela prefeitura descartou a hipótese levantada pela polícia de que os animais teriam sido comercializados como churrasco durante a "Festa de Agosto", que aconteceu na cidade dias antes do aparecimento das caudas. Segundo a análise, os animais foram sacrificados após a realização do evento.

Para tentar identificar responsáveis pelo surgimento de mais de 500 caudas de animais em terrenos baldios de São Lourenço (MG), o grupo "Patrulha Animal" lançou nas redes sociais uma campanha com recompensa de R$ 2 mil para quem tiver pistas sobre o possível autor das mortes.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário