Minas inicia vacinação contra aftosa - ALÔ ALÔ CIDADE

Minas inicia vacinação contra aftosa

Compartilhar isso

Segunda etapa da campanha nacional vai ocorrer durante todo o mês de novembro

30/10/2015 11:21
Foto/divulgação
A segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação Contra Febre Aftosa de 2015, que terá início no dia 1º de novembro e vai até 30 de novembro, deve imunizar, em Minas Gerais, 9,8 milhões de bovinos e bubalinos com até 24 meses. A medida é obrigatória e fundamental para manter o Estado com status internacional de livre de aftosa com vacinação, classificação concedida pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE, em inglês), e necessária para a expansão do mercado externo.
De acordo com o assessor da diretoria técnica do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), Sérgio Luiz Lima Monteiro, a imunização do rebanho é única forma de impedir o retorno da doença em Minas Gerais. No Estado não são registrados casos de aftosa há cerca de 20 anos.
"Estamos com boas perspectivas em relação à abertura de novos mercados para a carne bovina e os derivados da atividade pecuária, como os Estados Unidos, por exemplo. A manutenção do Estado livre da aftosa por vacinação é fundamental para que os negócios avancem. Por isso, é importante que os produtores sigam as instruções do IMA e vacinem o rebanho", explicou Monteiro.
O índice de adesão à campanha é alto no Estado. Na primeira etapa da campanha, que aconteceu em maio deste ano, foram vacinados 23,5 milhões de bovinos e bubalinos de todas as idades, o índice de abrangência ficou em torno de 97%. Nota - Após a conclusão da imunização, os produtores têm até 10 dias para declarar a vacinação, que é feita com o preenchimento do Formulário de Declaração de Vacinação, conhecida como Carta Aviso de Vacinação, disponível no site do IMA a partir de 30 de outubro.
O produtor também poderá declarar a vacinação pessoalmente nos escritórios do IMA, neste caso, é imprescindível que ele apresente a nota fiscal de compra das vacinas.
O pecuarista que deixar de vacinar ou não declarar a imunização do rebanho estará sujeito a penalidades. De acordo com Monteiro, a multa aplicada para quem não vacina é de R$ 68,07 por cabeça. Para quem não declara, a multa é de R$ 13,67 por cabeça.
Ao longo do mês, o IMA acompanhará a vacinação em vários estabelecimentos rurais do Estado. De acordo com Monteiro, a ação é realizada em unidades que podem apresentar riscos para a reintrodução da aftosa em Minas Gerais.
Em todas as campanhas, os técnicos do IMA acompanham algumas unidades para controle da vacinação. Normalmente são fazendas que, por ventura, podem apresentar alguns riscos para reintrodução da doença no Estado.
"Vários critérios são utilizados para a seleção dessas unidades, como a proximidade com a divisa de outros estados, onde ocorre grande movimentação de animais e caminhões transportadores, em propriedades que não declararam a vacinação, próximas a recintos de eventos agropecuários, entre outros", observou Monteiro.

Cuidados - O assessor do Instituto Mineiro de Agropecuária também alerta sobre os cuidados que os pecuaristas devem adotar na hora do transporte da vacina. Segundo ele, o material deve ser mantido em temperaturas entre 2 e 8 graus centígrados.

A vacina deve ser transportada em caixa de isopor, com o uso de duas a três vezes mais de gelo que o volume do produto. Se o produtor não for realizar a vacina no mesmo dia, deve colocá-la na geladeira a temperaturas entre 2 e 8 graus centígrados. Esses cuidados importantes para garantir a eficiência do medicamento.

Fonte: Diário do Comércio

Nenhum comentário:

Postar um comentário