Jovem que foi obrigado a rolar em barranco em Poços de Caldas fala sobre o caso - ALÔ ALÔ CIDADE

Publicidade

Rapaz foi filmado rolando em barranco a mando de policias militares. Vídeo circula na internet desde sexta-feira foi gravado em Poços de Caldas.

14/01/2016 01:03
Jovem que foi obrigado a rolar em barranco em Poços de Caldas, fala sobre o caso - Fotos/reprodução: Alô Alô Cidade

“Eu fiquei humilhado”, disse um dos jovens obrigados pela Polícia Militar a rolar por um barranco em Poços de Caldas (MG) na última semana. O jovem de 18 anos relatou que voltava para casa após um dia de serviço quando foi abordado. O pai dele procurou a corregedoria em Belo Horizonte (MG). As imagens do caso circulam na internet desde a última sexta-feira (8).
"Eu não fiquei com nenhum machucado, eu fiquei envergonhado, vou falar pra você. Eu me senti humilhado em questão a isso. ", relatou o jovem.
O publicitário Alberto Silva, pai do rapaz, contou que levou o caso ao comando da polícia. “Eu entrei em contato com o comando geral da polícia em Belo Horizonte. Imediatamente fui muito bem atendido pelo major Fernando, em Poços de Caldas, que disse que vão tomar as providências e agora vamos à justiça comum para apurar isso. Não corresponde à ética operacional da PM que temos em Poços. Acredito que uma polícia desta não está preparada para estar na rua. Não estou generalizando a PM, mas, no caso, os policiais que fizeram esta abordagem”, disse.
Alberto Silva, pai do rapaz, contou que levou o caso ao comando da polícia - Foto/reprodução: EPTV

Segundo o rapaz de 18 anos que não quis se identificar, ele voltava do trabalho, tinha acabado de descer do ônibus e cortou caminho por um campo, para chegar em casa. Ele estaria acompanhado por amigos quando foram abordados por dois policiais em duas motocicletas e, em seguida, outros dois militares chegaram em um carro.
O vídeo que circula pela internet mostra dois jovens à beira do barranco. Depois de um sinal de um dos militares, um deles desce rolando. Ele repete o mesmo movimento e, em seguida, outro rapaz faz o mesmo. O jovem relatou que a gravação não mostra o que um dos militares fizeram com o amigo dele.
"Ele escreveu palhaço com caneta preta na testa dele. Ele falou assim: 'é, você pode ir embora, mas você vai é... ralando o peito. Eu quero que você desça o barranco de peito.' Aí ele foi lá e desceu. Ele mandou subir e descer de novo. E o menino estava sem camisa, então ralou todo o peito dele", lembrou.
Para ele, os policiais agiram com abuso de autoridade, já que, de acordo com o rapaz, eles não portavam drogas, armas ou substâncias ilícitas. "Foi por pura diversão porque eles 'tavam' rindo (...). Não [estávamos portando], nenhum tipo de... nem se for arma, nem drogas. E mesmo se tivesse, não é da polícia fazer isso. O certo é a polícia pegar e levar à delegacia", acrescentou a vítima.

Questionado, o major Luis Fernando Batista, subcomandante do 29º Batalhão da Polícia Militar, informou que abriu inquérito para investigar a conduta dos policiais e disse que ainda não identificou os envolvidos. “Uma vez que o objetivo desse inquérito é identificar a autoria e a materialidade do fato, e estes policiais militares estão sujeitos à sanções administrativas como advertências até a exclusão dos quadros da Polícia Militar, como as sanções penais em relação á Justiça Militar e a justiça comum”, justificou.
Major Luis Fernando Batista, subcomandante do 29º Batalhão da Polícia Militar, informou que abriu inquérito para investigar a conduta dos policiais - Foto/reprodução: EPTV


_______________________________________________
Saiba mais




Fonte: G1/EPTV

Jovem que foi obrigado a rolar em barranco em Poços de Caldas fala sobre o caso

Rapaz foi filmado rolando em barranco a mando de policias militares. Vídeo circula na internet desde sexta-feira foi gravado em Poços de Caldas.

14/01/2016 01:03
Jovem que foi obrigado a rolar em barranco em Poços de Caldas, fala sobre o caso - Fotos/reprodução: Alô Alô Cidade

“Eu fiquei humilhado”, disse um dos jovens obrigados pela Polícia Militar a rolar por um barranco em Poços de Caldas (MG) na última semana. O jovem de 18 anos relatou que voltava para casa após um dia de serviço quando foi abordado. O pai dele procurou a corregedoria em Belo Horizonte (MG). As imagens do caso circulam na internet desde a última sexta-feira (8).
"Eu não fiquei com nenhum machucado, eu fiquei envergonhado, vou falar pra você. Eu me senti humilhado em questão a isso. ", relatou o jovem.
O publicitário Alberto Silva, pai do rapaz, contou que levou o caso ao comando da polícia. “Eu entrei em contato com o comando geral da polícia em Belo Horizonte. Imediatamente fui muito bem atendido pelo major Fernando, em Poços de Caldas, que disse que vão tomar as providências e agora vamos à justiça comum para apurar isso. Não corresponde à ética operacional da PM que temos em Poços. Acredito que uma polícia desta não está preparada para estar na rua. Não estou generalizando a PM, mas, no caso, os policiais que fizeram esta abordagem”, disse.
Alberto Silva, pai do rapaz, contou que levou o caso ao comando da polícia - Foto/reprodução: EPTV

Segundo o rapaz de 18 anos que não quis se identificar, ele voltava do trabalho, tinha acabado de descer do ônibus e cortou caminho por um campo, para chegar em casa. Ele estaria acompanhado por amigos quando foram abordados por dois policiais em duas motocicletas e, em seguida, outros dois militares chegaram em um carro.
O vídeo que circula pela internet mostra dois jovens à beira do barranco. Depois de um sinal de um dos militares, um deles desce rolando. Ele repete o mesmo movimento e, em seguida, outro rapaz faz o mesmo. O jovem relatou que a gravação não mostra o que um dos militares fizeram com o amigo dele.
"Ele escreveu palhaço com caneta preta na testa dele. Ele falou assim: 'é, você pode ir embora, mas você vai é... ralando o peito. Eu quero que você desça o barranco de peito.' Aí ele foi lá e desceu. Ele mandou subir e descer de novo. E o menino estava sem camisa, então ralou todo o peito dele", lembrou.
Para ele, os policiais agiram com abuso de autoridade, já que, de acordo com o rapaz, eles não portavam drogas, armas ou substâncias ilícitas. "Foi por pura diversão porque eles 'tavam' rindo (...). Não [estávamos portando], nenhum tipo de... nem se for arma, nem drogas. E mesmo se tivesse, não é da polícia fazer isso. O certo é a polícia pegar e levar à delegacia", acrescentou a vítima.

Questionado, o major Luis Fernando Batista, subcomandante do 29º Batalhão da Polícia Militar, informou que abriu inquérito para investigar a conduta dos policiais e disse que ainda não identificou os envolvidos. “Uma vez que o objetivo desse inquérito é identificar a autoria e a materialidade do fato, e estes policiais militares estão sujeitos à sanções administrativas como advertências até a exclusão dos quadros da Polícia Militar, como as sanções penais em relação á Justiça Militar e a justiça comum”, justificou.
Major Luis Fernando Batista, subcomandante do 29º Batalhão da Polícia Militar, informou que abriu inquérito para investigar a conduta dos policiais - Foto/reprodução: EPTV


_______________________________________________
Saiba mais




Fonte: G1/EPTV

Nenhum comentário:

Postar um comentário