Bombeiros fazem parto dentro de unidade de resgate em Poços de Caldas, MG - ALÔ ALÔ CIDADE

Bombeiros fazem parto dentro de unidade de resgate em Poços de Caldas, MG

Compartilhar isso

Jovem de 22 anos deu à luz em espaço de cerca de 5 metros quadrados.
Bebê recebeu o nome de Lavínia e passa bem na Santa Casa da cidade. 


14/03/2016
Bebê nasceu dentro de unidade de resgate dos Bombeiros (Foto: Corpo de Bombeiros)

Uma mulher de 22 anos deu à luz a uma menina dentro da unidade de resgate do Corpo de Bombeiros em Poços de Caldas (MG), por volta das 10h desta sexta-feira (11). Segundo os militares, o parto aconteceu na região Sul do município, enquanto eles levavam a jovem para a Santa Casa.
De acordo com o soldado Thales Alexandre Miranda Frade, os bombeiros pararam o carro em um posto de combustíveis e a bebê que recebeu o nome de Lavínia nasceu dentro da unidade resgate, em um espaço de cerca de 5 metros quadrados. Segundo ele, foram cerca de 10 minutos de trabalho de parto.
Bombeiros fazem parto dentro de unidade de resgate em Poços, MG - Foto: EPTV

“Ela acabou ganhando [a bebê] aqui. Não foi possível chegar até o hospital. Ela entrou em trabalho de parto dentro da viatura. Essa foi a primeira vez que eu fiz um trabalho desse, vai ser algo que vou levar para toda minha vida”, contou o bombeiro.
A mãe da menina, Letícia Daniele Alves, contou que chamar os bombeiros foi a única opção que ela teve durante o trabalho de parto. “A sensação é inexplicável. Ela parece uma princesinha. Mas, quando eu comecei a sentir dor, liguei para o Samu e eles disseram que não iriam me pegar, porque não era urgência, mas eu estava entrando em trabalho de parto”, disse.
Bombeiros ajudaram a pequena Lavínia a nascer em Poços (Foto: Corpo de Bombeiros)

Os bombeiros fizeram questão de registrar o momento, mas voltaram ao hospital e receberam os agradecimentos da mãe. “Obrigada por terem me ajudado”, completou a jovem. “Eles me passaram bastante segurança, disseram para eu me manter calma, sempre calma, mas quando viram que não deu para segurar, pararam e foi ali mesmo”, lembrou a mãe da criança.
E para um dos bombeiros, o sargento Rogério Domingues, a maior recompensa foi segurar a Lavínia. Esta foi a segunda vez que ele passou por uma situação como esta. “É muito bom, né, porque a gente passou tudo com ela e depois que correu tudo bem, a criança está bem, a mãe está bem, a gente fica feliz com isso”, pontuou.

G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário