Mãe que jogou recém-nascida em lixão é identificada em Cambuquira, MG - ALÔ ALÔ CIDADE

Mãe que jogou recém-nascida em lixão é identificada em Cambuquira, MG

Compartilhar isso

O caso aconteceu a um mês. O marido também foi indiciado pelo crime para ser ouvido. A autora vai aguardar o julgamento em liberdade

01/09/2016 11:12
Mãe que jogou recém-nascida em lixão é identificada em Cambuquira, MG  - Fotos/reprodução Alô Alô Cidade
A autora, Thais Sales, de 23 anos, confessou para a Polícia que descartou a filha recém-nascida no lixo da própria casa. A história aconteceu na cidade de Cambuquira, MG. A autora mora com o marido e três filhos. O marido dela conta que não sabia que sua esposa estava grávida. Ele disse também, que só ficou sabendo que sua mulher tinha ''dado a luz'' depois que tudo veio atona. O marido também afirma que não tem participação no crime.
Autora
O crime aconteceu no final do mês passado, de acordo com o Delegado responsável pelo caso, a autora fez o parto sozinha no banheiro onde mora. Ainda segundo o Delegado, ela ainda admitiu que colocou a bebe em um saco de lixo e colocou na porta de casa. Em depoimento, ela afirmou que não sabia se a bebe tinha nascida viva ou morta. Mas, para uma médica que atendeu a Thais, ela deu outra versão, a mãe teria dito que a bebe tinha nascida viva, o que foi confirmada pelo Médico legista que fez a necropsia no corpo. Ainda segundo o Delegado, a autora antes de jogar a recém-nascida no lixo, teria escondido o corpo por dois dias. 
O caso foi divulgado aqui no Alô Alô Cidade no mês passado, depois que um homem encontrou no antigo lixão a bebe sendo arrastada por um urubu. Após ele ver de longe, ele aproximou, identificou o corpo e chamou a Polícia Militar. A Perícia da Polícia Civil, constatou que se tratava de uma bebe do sexo feminino, com 4,6k e com 48cm de tamanho. 
A denuncia foi feito encaminhada ao Conselho Tutelar, depois que vizinhos desconfiaram da atitude de Thais. A Polícia chegou a pegar uma lista de nomes de mulheres que fizeram o pré natal no Hospital da cidade, mas a autora não teve acompanhamento médico durante a gravidez. Thais ainda não conseguiu explicar para o marido o que realmente aconteceu e o motivo de ter feito crime. 
O Delegado responsável pelo caso, informou que vai indiciar o casal por homicídio qualificado, até o momento ele descarta as investigações sobre o crime de infanticídio (morte do filho provocada pela mãe por ocasião do parto ou durante o estado puerperal). A mãe deve passar por exames psicológicos, e o pai vai fazer o exame de DNA, para comprovar a paternidade da bebe. O Delegado acredita, que pode ser fruto de uma relação extraconjugal. 
A Conselheira disse que a família é muito conhecida no bairro e nunca teve denuncia e nem um problema. O Delegado ainda vai ouvir o marido e também testemunhas. Thais deve aguardar os fim das investigações em liberdade. O Inquérito deve ser concluído em 15 dias.
Autora e seu marido






________________________________________________________________

Saiba mais

Recém-nascida é encontrado em um lixão de Cambuquira, MG