Publicidade

Dupla simulou que vigia do estabelecimento teria sido rendido.
Comparsa era contratado como auxiliar na Secretaria de Obras da cidade

02/02/2015 13:32
O funcionário de uma loja em Elói Mendes MG foi detido na tarde deste domingo (1º) depois de confessar que participou de um furto ocorrido horas antes no local de trabalho. Segundo a Polícia Militar, o rapaz de 31 anos fingiu ter sido rendido por um comparsa para pegar seis malotes com dinheiro e cheques que ficavam em um cofre. A polícia também deteve o segundo suspeito, um homem de 32 anos que era contratado da Secretaria Municipal de Obras.

De acordo com a PM, o funcionário trabalhava como vigia da loja e, na primeira versão apresentada à polícia, disse que um homem armado o rendeu e roubou o estabelecimento. Mas, na segunda versão, ele admitiu que os dois combinaram a simulação de assalto na sexta-feira (30) e que o domingo foi escolhido para que o plano fosse colocado em prática por ser um dia sem movimento.
O Vigia Marcio Denicio Batista, 31 anos, professor de artes marciais, acabou confessando o crime - 
Fotos: Diário do Pontal On Line

Ainda conforme a PM, o suspeito informou que demorou cerca de uma hora para chamar a polícia para ajudar na fuga do comparsa, localizado por volta das 22h no almoxarifado da prefeitura.
A Prefeitura de Elói Mendes informou que o segundo suspeito, que seria ex-presidiário, teve o contrato rescindido na manhã desta segunda-feira (2). Ele ocupava a função de auxiliar de serviços gerais.
Julio César  Teixeira, 32 anos, este já possui várias passagens policias por diversos crimes - Fotos: Diário do Pontal On Line


O vigia Marcio Denicio Batista, 31 anos, professor de artes marciais, acabou confessando o crime de roubo e se entregou com comparsa, Julio César  Teixeira, 32 anos, este já possui várias passagens policias por diversos crimes.

Os dois homens foram encaminhados para a cadeia de Elói Mendes, depois de serem ouvidos na Delegacia de Varginha MG. Não foi divulgado o valor levado da loja. A polícia disse a suposta arma usada na ação não foi localizada até esta publicação.

Informações: Polícia Militar
Leia mais no G1

Funcionário é suspeito de furtar loja onde trabalhava em Elói Mendes, MG

Dupla simulou que vigia do estabelecimento teria sido rendido.
Comparsa era contratado como auxiliar na Secretaria de Obras da cidade

02/02/2015 13:32
O funcionário de uma loja em Elói Mendes MG foi detido na tarde deste domingo (1º) depois de confessar que participou de um furto ocorrido horas antes no local de trabalho. Segundo a Polícia Militar, o rapaz de 31 anos fingiu ter sido rendido por um comparsa para pegar seis malotes com dinheiro e cheques que ficavam em um cofre. A polícia também deteve o segundo suspeito, um homem de 32 anos que era contratado da Secretaria Municipal de Obras.

De acordo com a PM, o funcionário trabalhava como vigia da loja e, na primeira versão apresentada à polícia, disse que um homem armado o rendeu e roubou o estabelecimento. Mas, na segunda versão, ele admitiu que os dois combinaram a simulação de assalto na sexta-feira (30) e que o domingo foi escolhido para que o plano fosse colocado em prática por ser um dia sem movimento.
O Vigia Marcio Denicio Batista, 31 anos, professor de artes marciais, acabou confessando o crime - 
Fotos: Diário do Pontal On Line

Ainda conforme a PM, o suspeito informou que demorou cerca de uma hora para chamar a polícia para ajudar na fuga do comparsa, localizado por volta das 22h no almoxarifado da prefeitura.
A Prefeitura de Elói Mendes informou que o segundo suspeito, que seria ex-presidiário, teve o contrato rescindido na manhã desta segunda-feira (2). Ele ocupava a função de auxiliar de serviços gerais.
Julio César  Teixeira, 32 anos, este já possui várias passagens policias por diversos crimes - Fotos: Diário do Pontal On Line


O vigia Marcio Denicio Batista, 31 anos, professor de artes marciais, acabou confessando o crime de roubo e se entregou com comparsa, Julio César  Teixeira, 32 anos, este já possui várias passagens policias por diversos crimes.

Os dois homens foram encaminhados para a cadeia de Elói Mendes, depois de serem ouvidos na Delegacia de Varginha MG. Não foi divulgado o valor levado da loja. A polícia disse a suposta arma usada na ação não foi localizada até esta publicação.

Informações: Polícia Militar
Leia mais no G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário