Acesso ao Facebook pode ficar 24 horas bloqueado em todo Brasil - ALÔ ALÔ CIDADE

PUBLICIDADE

Acesso ao Facebook pode ficar 24 horas bloqueado em todo Brasil

Compartilhar isso

Rede Social está ignorando uma ordem judicial da Justiça Eleitoral de Santa Catarina.

10/10/2016
Acesso ao Facebook pode ficar 24 horas bloqueado em todo Brasil - Foto/divulgação

A Justiça Eleitoral de Santa Catarina ordenou que o acesso ao Facebook seja bloqueado pelos provedores de internet por 24 horas em todo o país. A decisão é do juiz eleitoral Renato Roberge, após a rede social ter ignorado a ordem judicial para remover o perfil “Hudo Caduco”, que contém uma paródia do candidato que disputa à prefeitura de Joinville (SC), Udo Döhler (PMDB).
O juiz determina que além de excluir o perfil, o Facebook deve fornecer o IP ou qualquer outro meio de identificação do responsável pela criação da página. A empresa também foi condenada em pagar R$ 30 mil de multa por dia de descumprimento da ordem judicial.
A sentença foi transitada em julgado – não há mais possibilidade para recorrer- e enviada à Anatel. Caso o Facebook continue ignorando a decisão judicial, a rede social deve ficar outras 24 horas fora do ar.

Atualização:
Facebook cumpre decisão judicial e garante que não será bloqueado no Brasil.
Em nota divulgada à imprensa, o Facebook confirmou que não será bloqueado no Brasil por 24 horas, como havia decretado um juiz eleitoral de Santa Catarina. A Justiça pediu que a rede social tirasse uma página do ar e, segundo a assessoria da empresa, a ordem foi cumprida "integralmente".
"O Facebook tem profundo respeito pelas decisões da justiça brasileira e cumpriu a ordem judicial dentro do prazo estabelecido", disse o Facebook em nota. A assessoria, procurada pelo Olhar Digital, acrescentou ainda que o cumprimento da decisão já foi protocolado e encaminhado ao juiz do caso.
De acordo com Renato Roberge, juiz eleitoral de Joinville (SC), o Facebook teria se recusado a tirar do ar um perfil falso que tirava sarro de um candidato à prefeitura, Udo Döhler (PMDB). A Justiça também exigiu que a rede social revelasse o IP do administrador do perfil "Hudo Caduco" e que oferecesse direito de resposta ao político ofendido.
"Não há dúvida alguma de que o perfil tratado nestes autos está à margem da legislação eleitoral vigente, pois claramente criado para o fim de infirmar o candidato representante", disse o juiz na sentença. O Facebook diz que entrou com recurso e que, após tê-lo negado, cumpriu a ordem integralmente, como mandava a Justiça.
Fonte: Olhar Digital

spider

[Fechar]