Helicóptero cai em Espírito Santo do Dourado, MG, e deixa mortos - ALÔ ALÔ CIDADE

Helicóptero cai em Espírito Santo do Dourado, MG, e deixa mortos

Compartilhar isso

Segundo o Corpo de Bombeiros, plano de voo informava que quatro pessoas estavam na aeronave, mas apenas dois estavam a bordo no momento da queda.

18/06/2018

Um helicóptero caiu no início da noite deste sábado (16) em Espírito Santo do Dourado (MG), e deixou dois mortos. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o plano de voo informava que quatro pessoas estavam a bordo, mas apenas duas estavam na aeronave no momento da queda. O helicóptero foi financiado por um grupo de mineração junto a uma rede de bancos. As identidades dos passageiros ainda não foram confirmadas.
Ainda conforme os bombeiros, o helicóptero caiu próximo à rodovia MG-179, na zona rural do município, por volta das 19h. Equipes do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar foram para o local ajudar no resgate. 

Segundo o capitão Ivan Santos Pereira Neto, dos bombeiros, a aeronave, identificada como Agusta A109s decolou de Nova Lima (MG), com destino ao aeroporto de Congonhas, em São Paulo (SP). O modelo tem autonomia de voo de 2h30.

Uma moradora da região registrou quando a aeronave caiu na região, já pegando fogo. Em contato com a reportagem, Sabrina Carvalho contou que ela e o marido ouviram a explosão e disse que a estrutura da varanda da casa em que moram chegou a tremer.

Vídeo



"Passou bem pertinho da minha casa, aí começou a tremer a estrutura metálica aqui da minha área, fazer bastante barulho mesmo. Meu marido saiu e falou que ele estava passando bem pertinho e piscando bastante, uma luz vermelha nele acendendo e apagando", conta Sabrina. 

"Passaram uns segundos, a gente escutou aquele barulho de que tinha caído. Aí a gente já pegou o carro e foi lá, tinha explodido", completa a moradora.
O Centro de Comunicação Social da Aeronáutica informou que a investigação do acidente será realizada pelo Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa III), órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). 
A queda


A aeronave decolou de um heliporto de Nova Lima (MG) com destino ao aeroporto de Congonhas, em São Paulo (SP). Apesar do plano de voo indicar que quatro pessoas fariam o trajeto, apenas eles embarcaram no helicóptero. A informação foi confirmada aos militares por amigos e familiares dos dois. A queda aconteceu aproximadamente às 18h45 em uma área de difícil acesso próxima à rodovia MG-179, na zona rural de Espírito Santo do Dourado. 

Segundo o Corpo de Bombeiros, o piloto chegou a fazer contato com o centro de controle avisando que estava com problemas mecânicos e dificuldades para pousar. Além disso, os militares foram acionados pela Central de Controle de Voo de Brasília, que informou ter perdido contato com o helicóptero momentos depois do piloto relatar os problemas. 


Buscas

O Corpo de bombeiros ainda não encontrou vestígios das vítimas do acidente com um helicóptero que caiu no início da noite de sábado (16) em Espírito Santo do Dourado (MG). As buscas foram retomadas na manhã desta segunda-feira (18), mas por volta de 10h, a informação era de que ainda não havia nenhum sinal de corpos ou sobreviventes. Os militares vasculharam os arredores do acidente e copas de árvores e nada foi encontrado.

Os militares trabalham junto com técnicos do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa III). Ainda no domingo (17), os militares começaram a remover os destroços do helicóptero utilizando equipamentos de tração e ferramentas hidráulicas. Foram removidos dois motores, o rotor principal e parte do painel da aeronave. Pela disposição dos destroços, os militares acreditam que a aeronave bateu de frente na montanha, abrindo uma cratera. 

O Seripa informou que nesta etapa inicial de investigação vai fotografar a área do acidente, retira partes da aeronave para análise, reúne documentos e ouve relatos de pessoas que viram a sequência de acontecimentos até o acidente.

As vítimas


Um sócio confirmou que o empresário Márcio Bissoli, de 50 anos, estava no helicóptero. Além dele, o piloto Luiz Gustavo Araújo Soares estava na aeronave no momento da queda.
Em contato com a reportagem, o também empresário Alexandre Penido contou que os dois eram sócios em uma outra empresa, chamada MPA Empreendimentos Imobiliários, que atualmente desenvolve o projeto de um condomínio de luxo em Capitólio (MG). Segundo Penido, Bisolli era um "homem de visão".
Além de ser sócio na empresa MPA, Bissoli era sócio e diretor-executivo da Mineradora Bauminas, que operava o helicóptero. Representantes da empresa também estiveram no local do acidente, mas preferiram não dar entrevistas. 

O helicóptero


A aeronave, identificada como sendo do modelo Agusta A109S, tinha autorização para voos noturnos. A queda aconteceu aproximadamente às 18h45 em uma área de difícil acesso próxima à rodovia MG-179, na zona rural de Espírito Santo do Dourado.
O helicóptero era operado pelo grupo Bauminas, mas ainda aparece como pertencente ao Banco Bradesco, porque havia sido comprado recentemente. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário