Vale da Eletrônica passa ao largo da crise da indústria - ALÔ ALÔ CIDADE

Vale da Eletrônica passa ao largo da crise da indústria

Compartilhar isso

Empresas do Sul de Minas registram alta na demanda e mantém aportes superiores a R$ 140 mi

28/11/2014 17:23
Apesar do fraco desempenho da economia brasileira, os empresários do Vale da Eletrônica, em Santa Rita do Sapucaí (Sul de Minas), seguem na contramão, registrando aumento na demanda e mantendo os aportes, que deverão superar os R$ 140 milhões em 2014. A necessidade de investir em inovação, com o objetivo de ganhar eficiência em períodos de crise, tem mantido o consumo dos produtos do setor em alta, promovendo o crescimento da atividade. De acordo com o presidente do Sindicato das Indústrias de Aparelhos Eletrônicos, Elétricos e Similares do Vale da Eletrônica (Sindvel), Roberto de Souza Pinto, apesar da desaceleração econômica, os resultados obtidos pelo setor na região são positivos. Prova disso é que a expectativa era manter em 2014 o índice de crescimento registrado nos anos anteriores, entre 27% e 29%. Porém, mesmo diante da grave crise que a indústria mineira em geral atravessa, com previsão de retração em vários setores, as empresas do Sul de Minas devem encerrar o exercício com expansão de aproximadamente 12%. E um dos principais fatores para o desempenho positivo é a sinergia existente entre os 153 integrantes do Arranjo Produtivo Local (APL), que trabalham em conjunto. Mesmo diante do fraco desempenho da economia e da crise vivenciada por vários setores, as indústrias do Vale da Eletrônica vão encerrar o ano com crescimento. Porém, menor do que o registrado em exercícios anteriores. Atuar em conjunto, em época de variação na demanda, seja para mais ou para menos, é fundamental, pois conseguimos nos reorganizar, evitar perdas e, principalmente, manter a mão de obra empregada. Também “atuamos em conjunto na conquista de contratos de grandes empresas, que sozinhos as indústrias não conseguiriam atender”, explicou. Ainda segundo o presidente da entidade, somente em 2014, os fabricantes de eletroeletrônicos da região investiram mais de R$ 140 milhões na ampliação das unidades, lançamentos de produtos e construção de novas fábricas. Conforme ele, os aportes são necessários para fortalecer ainda mais as empresas do polo. Nosso segmento desenvolve produtos inovadores e de alta tecnologia. Por isso, os investimentos são essenciais para a constante evolução do setor. Quem não investe corre o risco de ficar fora do mercado. Isso porque quanto mais tecnologia for empregada no produto, menos tempo ele fica no mercado, exigindo grande velocidade no desenvolvimento de outros itens. Inovar é sempre necessário para se ter sucesso", diz Souza Pinto.
Investimentos feitos pelas empresas em 2014 devem superar os R$ 140 milhões/Sanzio Mello - Foto: Divulgação
Produtividade 
A demanda por tecnologia em tempos de crise também é beneficiada pela necessidade de se ampliar a produtividade. Além do mercado interno em expansão, as exportações do setor já cresceram 22,7% ao longo de 2014. "As crises geralmente estimulam nosso setor. Os produtos do Vale da Eletrônica, em grande parte, são usados nos processos produtivos de várias indústrias, que em épocas conturbadas precisam investir no ganho de produtividade, para reduzir custos e aumentar a competitividade. E o principal caminho é através de novas tecnologias e produtos inovadores", explica. As previsões em relação ao próximo ano também são otimistas. "Minhas expectativas são positivas. Acredito que a melhora da economia brasileira virá do investimento do governo no desenvolvimento das empresas, única solução que vejo para que o Brasil volte a crescer. Também é necessário investir nas micro e pequenas empresas, que são as grandes geradoras de empregos e renda", disse Souza Pinto.

Informações: Sindicato das Indústrias de Aparelhos Eletrônicos, Elétricos e Similares do Vale da Eletrônica (Sindvel)
Leia mais no Diário do Comércio

Nenhum comentário:

Postar um comentário