Ministério Público faz operação para apurar denúncia de tortura dentro da Penitenciária de Três Corações, MG - ALÔ ALÔ CIDADE

Publicidade

Mandados de busca e apreensão são cumpridos na unidade e em residências de agentes.

 Penitenciária de Três Corações está superlotada. (Foto: Reprodução EPTV)

O Ministério Público, através do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), cumpre 10 mandados de busca e apreensão em casas de agentes penitenciários e dentro da Penitenciária de Três Corações (MG) na manhã desta quinta-feira (2). Conforme o MP, o objetivo é apurar denúncias de tortura contra um preso da unidade.
Ainda conforme o MP, após a realização de uma investigação, nove agentes foram denunciados pela prática. Todos foram afastados de suas funções pelo Poder Judiciário.
Também a pedido do MP, foram expedidos os mandados de busca e apreensão para coleta de provas. A operação recebeu o nome de "Cruciato", que em latim significa tortura.
A pena prevista para o crime é de até 8 anos com aumento de até 1/3 em virtude de se tratar de agentes públicos denunciados.
O Ministério Público informou que dará mais informações sobre a operação no decorrer do dia. 
Fonte: G1

Ministério Público faz operação para apurar denúncia de tortura dentro da Penitenciária de Três Corações, MG

Mandados de busca e apreensão são cumpridos na unidade e em residências de agentes.

 Penitenciária de Três Corações está superlotada. (Foto: Reprodução EPTV)

O Ministério Público, através do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), cumpre 10 mandados de busca e apreensão em casas de agentes penitenciários e dentro da Penitenciária de Três Corações (MG) na manhã desta quinta-feira (2). Conforme o MP, o objetivo é apurar denúncias de tortura contra um preso da unidade.
Ainda conforme o MP, após a realização de uma investigação, nove agentes foram denunciados pela prática. Todos foram afastados de suas funções pelo Poder Judiciário.
Também a pedido do MP, foram expedidos os mandados de busca e apreensão para coleta de provas. A operação recebeu o nome de "Cruciato", que em latim significa tortura.
A pena prevista para o crime é de até 8 anos com aumento de até 1/3 em virtude de se tratar de agentes públicos denunciados.
O Ministério Público informou que dará mais informações sobre a operação no decorrer do dia. 
Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário