Brasil rumo às medalhas em astronomia e astrofísica - ALÔ ALÔ CIDADE

Publicidade

Cinco estudantes brasileiros do ensino médio viajam, essa semana, para a cidade de Magelang, na província de Java Central, na Indonésia. 

27/07/2015 19:19
Os brasileiros vão em busca das medalhas do conhecimento na IX Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA, na sigla em inglês), que acontece entre os dias 26 de julho e 4 de agosto.
Brasil rumo às medalhas em astronomia e astrofísica - Fotos: Júlio C. Klafke

A nossa seleção é formada pelos alunos Carolina Lima Guimarães (Vitória, ES), Felipe Roz Barscevicius (Sorocaba, SP), João Paulo Krug Paiva (Curitiba, PR), Pedro Henrique da Silva Dias (Porto Alegre, RS) e Yassin Rany Khalil (Primavera do Leste, MT). Os líderes do grupo são os astrônomos Gustavo Rojas (UFSCar) e Eugênio Reis (MAST/RJ).

Preparação

Antes da viagem, os jovens participaram de uma série de treinamentos. Eles estudaram com especialistas no Observatório Abrahão de Moraes, do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da Universidade de São Paulo (USP). Depois, conheceram e aprenderam mais sobre a disciplina no Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA), em Brazópolis (MG). As aulas tinham como objetivo intensificar a preparação dos alunos diante das provas.
Nessa última semana, eles se reuniram no Planetário Johannes Kepler, situado no Sabina Escola Parque do Conhecimento, em Santo André (SP). Esse encontro serviu para testar os conhecimentos de astronomia no planetário, onde foram simuladas as condições observacionais que encontrarão na Indonésia.

Além dos alunos e líderes da equipe, participaram desse último treinamento os professores Marcos Calil e Daniel Soler (Sabina), Julio Klafke (Colegio Objetivo-SP), Thiago Paulin (Colégio Etapa-SP) e Ednilson Oliveira (Colégio Santa Maria-SP).


Na olimpíada anterior

A edição de 2014 foi na cidade de Suceava, Romênia. Além de receber duas medalhas de bronze e três menções honrosas, a delegação brasileira conquistou a inédita medalha de prata na prova por equipe.

Como participar

Para ter a oportunidade de estar em uma destas equipes internacionais, o candidato precisa, primeiramente, de uma excelente pontuação na prova nacional da OBA. Em seguida, é preciso participar de provas seletivas online. E, finalmente, caso seja classificado, o estudante realiza uma prova final presencial.

Depois de todo esse processo, os selecionados para compor as equipes realizam treinamentos intensivos, onde aprendem a operar telescópios, a construir foguetes e bases de lançamento e aprimoram seus conhecimentos de Astronomia.

Organização

A IOAA é reconhecida pela União Astronômica Internacional (IAU, na sigla em inglês). A organização exige que cada país se comprometa a sediar uma edição da olimpíada, arcando com todas as despesas relativas ao evento, podendo receber apoio de diferentes setores da sociedade. Já a OLAA é coordenada por astrônomos brasileiros, argentinos, uruguaios e de outros países da América Latina. Acontece desde 2009, quando foi fundada na cidade de Montevidéu, no Uruguai. A OBA é organizada por uma comissão formada por membros da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) e da Agência Espacial Brasileira (AEB).

Site oficial da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA)

http://www.oba.org.br

Informações: OBA

Brasil rumo às medalhas em astronomia e astrofísica

Cinco estudantes brasileiros do ensino médio viajam, essa semana, para a cidade de Magelang, na província de Java Central, na Indonésia. 

27/07/2015 19:19
Os brasileiros vão em busca das medalhas do conhecimento na IX Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA, na sigla em inglês), que acontece entre os dias 26 de julho e 4 de agosto.
Brasil rumo às medalhas em astronomia e astrofísica - Fotos: Júlio C. Klafke

A nossa seleção é formada pelos alunos Carolina Lima Guimarães (Vitória, ES), Felipe Roz Barscevicius (Sorocaba, SP), João Paulo Krug Paiva (Curitiba, PR), Pedro Henrique da Silva Dias (Porto Alegre, RS) e Yassin Rany Khalil (Primavera do Leste, MT). Os líderes do grupo são os astrônomos Gustavo Rojas (UFSCar) e Eugênio Reis (MAST/RJ).

Preparação

Antes da viagem, os jovens participaram de uma série de treinamentos. Eles estudaram com especialistas no Observatório Abrahão de Moraes, do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da Universidade de São Paulo (USP). Depois, conheceram e aprenderam mais sobre a disciplina no Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA), em Brazópolis (MG). As aulas tinham como objetivo intensificar a preparação dos alunos diante das provas.
Nessa última semana, eles se reuniram no Planetário Johannes Kepler, situado no Sabina Escola Parque do Conhecimento, em Santo André (SP). Esse encontro serviu para testar os conhecimentos de astronomia no planetário, onde foram simuladas as condições observacionais que encontrarão na Indonésia.

Além dos alunos e líderes da equipe, participaram desse último treinamento os professores Marcos Calil e Daniel Soler (Sabina), Julio Klafke (Colegio Objetivo-SP), Thiago Paulin (Colégio Etapa-SP) e Ednilson Oliveira (Colégio Santa Maria-SP).


Na olimpíada anterior

A edição de 2014 foi na cidade de Suceava, Romênia. Além de receber duas medalhas de bronze e três menções honrosas, a delegação brasileira conquistou a inédita medalha de prata na prova por equipe.

Como participar

Para ter a oportunidade de estar em uma destas equipes internacionais, o candidato precisa, primeiramente, de uma excelente pontuação na prova nacional da OBA. Em seguida, é preciso participar de provas seletivas online. E, finalmente, caso seja classificado, o estudante realiza uma prova final presencial.

Depois de todo esse processo, os selecionados para compor as equipes realizam treinamentos intensivos, onde aprendem a operar telescópios, a construir foguetes e bases de lançamento e aprimoram seus conhecimentos de Astronomia.

Organização

A IOAA é reconhecida pela União Astronômica Internacional (IAU, na sigla em inglês). A organização exige que cada país se comprometa a sediar uma edição da olimpíada, arcando com todas as despesas relativas ao evento, podendo receber apoio de diferentes setores da sociedade. Já a OLAA é coordenada por astrônomos brasileiros, argentinos, uruguaios e de outros países da América Latina. Acontece desde 2009, quando foi fundada na cidade de Montevidéu, no Uruguai. A OBA é organizada por uma comissão formada por membros da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) e da Agência Espacial Brasileira (AEB).

Site oficial da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA)

http://www.oba.org.br

Informações: OBA

Nenhum comentário:

Postar um comentário