Detento é morto por companheiros de cela no presídio de Varginha, MG - ALÔ ALÔ CIDADE

Publicidade

Crime aconteceu na noite desta quinta-feira (3); vítima tinha 38 anos e foi levada para o IML da cidade.

04/05/2018
Um detento foi morto a pedradas na noite desta quinta-feira (3) no Presídio de Varginha (MG) durante um motim. De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap), Reginaldo Pereira da Silva, de 38 anos, foi vítima dos próprios companheiros de cela.

Ainda conforme a Seap, o tumulto aconteceu por volta das 23h. Quando as agressões começaram, os agentes penitenciários tentaram agir com diálogos e como não foi possível, foi preciso disparar balas de borrachas, mas mesmo assim, foram impedidos de entrar no local por outros detentos. Eles atiravam pedras e telhas nos agentes. Devido o efetivo estar reduzido no momento, foi preciso pedir reforços. Os detentos estavam tentando influenciar outras celas para o motim.

A secretaria afirmou ainda que o caso foi isolado, não havendo motim dentro do presídio. Um procedimento foi aberto para apurar o crime e apontar os envolvidos, que devem sofrer sanções administrativas e responder criminalmente pelas agressões e pela morte.

O corpo de Silva foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Varginha (MG). 


Detento é morto por companheiros de cela no presídio de Varginha, MG

Crime aconteceu na noite desta quinta-feira (3); vítima tinha 38 anos e foi levada para o IML da cidade.

04/05/2018
Um detento foi morto a pedradas na noite desta quinta-feira (3) no Presídio de Varginha (MG) durante um motim. De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap), Reginaldo Pereira da Silva, de 38 anos, foi vítima dos próprios companheiros de cela.

Ainda conforme a Seap, o tumulto aconteceu por volta das 23h. Quando as agressões começaram, os agentes penitenciários tentaram agir com diálogos e como não foi possível, foi preciso disparar balas de borrachas, mas mesmo assim, foram impedidos de entrar no local por outros detentos. Eles atiravam pedras e telhas nos agentes. Devido o efetivo estar reduzido no momento, foi preciso pedir reforços. Os detentos estavam tentando influenciar outras celas para o motim.

A secretaria afirmou ainda que o caso foi isolado, não havendo motim dentro do presídio. Um procedimento foi aberto para apurar o crime e apontar os envolvidos, que devem sofrer sanções administrativas e responder criminalmente pelas agressões e pela morte.

O corpo de Silva foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Varginha (MG). 


Nenhum comentário:

Postar um comentário