Filha de advogado enterrado vivo em São Gonçalo do Sapucaí assume culpa pelo crime - ALÔ ALÔ CIDADE

Publicidade

Abygail Samarah Vilela Tavares depôs internada em clínica psiquiátrica. Delegado responsável informou que ela será indiciada como autora. 

15/04/2015 21:33
Advogado foi morto e enterrado no quintal em São Gonçalo do Sapucaí (Fotos: Reprodução EPTV)

A filha do advogado Silvio Tavares dos Santos, que teria sido enterrado vivo em São Gonçalo do Sapucaí MG, assumiu a culpa pela morte do pai em um depoimento prestado à Polícia Civil via carta precatória nesta quarta-feira (15). Abygail Samarah Vilela Tavares, de 26 anos, estpa internada em uma clínica psiquiátrica e será indiciada como autora do crime, junto com a mãe, que também confessou o crime à polícia.
Segundo o delegado responsável pelo caso, Diego Bruno Dias do Nascimento, Abygail foi internada em na clínica psiquiátrica em São José dos Campos SP logo após o crime e foi ouvido pela Polícia Civil paulista.
"Ela confessou o crime e disse que realmente provocou um golpe na vítima, que estava dopada de medicamentos, que acreditava que a vítima estava morta e assim enterrou e só tomou conhecimento de que a vítima estava viva quando prestou depoimento. Ela tentou, durante o depoimento, tirar a responsabilidade da mãe e disse que esta apenas a ajudou a colocar na cova”, disse.
De acordo com o delegado, o advogado foi morto no dia 28 de fevereiro, mas o corpo só foi descoberto no dia 10 de março, quando a esposa procurou os policiais para confessar o crime. A polícia paulista também ouviu um médico psiquiatra de São José dos Campos, que acompanha a família. Segundo ele, tanto o casal como a filha apresentam problemas psicológicos.
“Não é uma prova oficial médica, elas ainda vão passar por exames médicos e pela perícia oficial. Mas ele adiantou que a vítima, a mãe e a filha possuem transtornos, mas temos que apurar até que ponto esse transtorno afetou a capacidade delas entenderem que este era um ato criminosos”, pontuou o delegado.

Ainda de acordo com ele, a filha do advogado permanece internada no instituto psiquiátrico. “Agora vamos concluir o inquérito e ambas serão indiciadas por homicídio, já que houve asfixia e ocultação de cadáver. Elas podem pegar até 30 anos de prisão”, completou.

O caso
O corpo do advogado foi encontrado no dia 10 de março enterrado no quintal da própria casa em São Gonçalo do Sapucaí. Segundo a Polícia Militar, Sílvio Tavares dos Santos teria sido morto pela esposa, Maria Augusta Vilela Tavares, de 46 anos, com a ajuda da filha, há cerca de uma semana, depois de uma discussão sobre remédios. O caso foi descoberto depois que a principal suspeita procurou o Ministério Público para confessar o crime. Ela admitiu que matou e enterrou o próprio marido com a ajuda da filha, que teria dado uma gravata nele.
Segundo a polícia, a mulher disse que a vítima ficou agressiva quando recebeu os remédios de uso controlado que costumava tomar. Na tentativa de controlá-lo, a filha do casal o asfixiou. Na sequência, mãe e filha cavaram uma cova no quintal e o enterraram. Devido ao choque com a morte do pai, a filha foi internada em um hospital psiquiátrico. Apesar de ter confessado o crime, a advogada não foi presa, pois, segundo a polícia, ela tem cooperado com as investigações.
Devido ao estado de decomposição em que se encontrava, o corpo foi sepultado no cemitério de São Gonçalo do Sapucaí na mesma noite, no entanto, o corpo foi exumado no dia seguinte e os exames feitos pelo IML constataram que o advogado foi enterrado vivo.

O advogado era uma figura popular na cidade que gostava de vestir camisas de diferentes times de futebol e defendia o Partido dos Trabalhadores (PT), onde era presidente do comitê local. Sílvio Tavares chegou a ser candidato a vereador pelo partido em 2008. No perfil dele nas redes sociais ele aparece ao lado do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva.

Leia também
___________________________________________


Informações: Polícia Civil
Leia mais no G1

Filha de advogado enterrado vivo em São Gonçalo do Sapucaí assume culpa pelo crime

Abygail Samarah Vilela Tavares depôs internada em clínica psiquiátrica. Delegado responsável informou que ela será indiciada como autora. 

15/04/2015 21:33
Advogado foi morto e enterrado no quintal em São Gonçalo do Sapucaí (Fotos: Reprodução EPTV)

A filha do advogado Silvio Tavares dos Santos, que teria sido enterrado vivo em São Gonçalo do Sapucaí MG, assumiu a culpa pela morte do pai em um depoimento prestado à Polícia Civil via carta precatória nesta quarta-feira (15). Abygail Samarah Vilela Tavares, de 26 anos, estpa internada em uma clínica psiquiátrica e será indiciada como autora do crime, junto com a mãe, que também confessou o crime à polícia.
Segundo o delegado responsável pelo caso, Diego Bruno Dias do Nascimento, Abygail foi internada em na clínica psiquiátrica em São José dos Campos SP logo após o crime e foi ouvido pela Polícia Civil paulista.
"Ela confessou o crime e disse que realmente provocou um golpe na vítima, que estava dopada de medicamentos, que acreditava que a vítima estava morta e assim enterrou e só tomou conhecimento de que a vítima estava viva quando prestou depoimento. Ela tentou, durante o depoimento, tirar a responsabilidade da mãe e disse que esta apenas a ajudou a colocar na cova”, disse.
De acordo com o delegado, o advogado foi morto no dia 28 de fevereiro, mas o corpo só foi descoberto no dia 10 de março, quando a esposa procurou os policiais para confessar o crime. A polícia paulista também ouviu um médico psiquiatra de São José dos Campos, que acompanha a família. Segundo ele, tanto o casal como a filha apresentam problemas psicológicos.
“Não é uma prova oficial médica, elas ainda vão passar por exames médicos e pela perícia oficial. Mas ele adiantou que a vítima, a mãe e a filha possuem transtornos, mas temos que apurar até que ponto esse transtorno afetou a capacidade delas entenderem que este era um ato criminosos”, pontuou o delegado.

Ainda de acordo com ele, a filha do advogado permanece internada no instituto psiquiátrico. “Agora vamos concluir o inquérito e ambas serão indiciadas por homicídio, já que houve asfixia e ocultação de cadáver. Elas podem pegar até 30 anos de prisão”, completou.

O caso
O corpo do advogado foi encontrado no dia 10 de março enterrado no quintal da própria casa em São Gonçalo do Sapucaí. Segundo a Polícia Militar, Sílvio Tavares dos Santos teria sido morto pela esposa, Maria Augusta Vilela Tavares, de 46 anos, com a ajuda da filha, há cerca de uma semana, depois de uma discussão sobre remédios. O caso foi descoberto depois que a principal suspeita procurou o Ministério Público para confessar o crime. Ela admitiu que matou e enterrou o próprio marido com a ajuda da filha, que teria dado uma gravata nele.
Segundo a polícia, a mulher disse que a vítima ficou agressiva quando recebeu os remédios de uso controlado que costumava tomar. Na tentativa de controlá-lo, a filha do casal o asfixiou. Na sequência, mãe e filha cavaram uma cova no quintal e o enterraram. Devido ao choque com a morte do pai, a filha foi internada em um hospital psiquiátrico. Apesar de ter confessado o crime, a advogada não foi presa, pois, segundo a polícia, ela tem cooperado com as investigações.
Devido ao estado de decomposição em que se encontrava, o corpo foi sepultado no cemitério de São Gonçalo do Sapucaí na mesma noite, no entanto, o corpo foi exumado no dia seguinte e os exames feitos pelo IML constataram que o advogado foi enterrado vivo.

O advogado era uma figura popular na cidade que gostava de vestir camisas de diferentes times de futebol e defendia o Partido dos Trabalhadores (PT), onde era presidente do comitê local. Sílvio Tavares chegou a ser candidato a vereador pelo partido em 2008. No perfil dele nas redes sociais ele aparece ao lado do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva.

Leia também
___________________________________________


Informações: Polícia Civil
Leia mais no G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário