Jardineiro é morto a facadas na própria casa em Cambuquira-MG - ALÔ ALÔ CIDADE

Jardineiro é morto a facadas na própria casa em Cambuquira-MG

Compartilhar isso

Homem foi morto por pelo menos 39 facadas na própria casa onde morava sozinho. A suspeita que o crime seja passional, a vítima era Homossexual e não tinha passagens, segundo a Polícia

 
Jardineiro é morto a facadas na própria casa em Cambuquira-MG - Foto: Alô Alô Cidade

Um jardineiro de 30 anos foi encontrado morto a facadas pelo pai de 67 anos no início da noite deste domingo (26/09), na própria casa onde morava no Bairro Marimbeiro, em Cambuquira-MG.


Segundo informações da Polícia Militar, o pai que foi surpreendido com o corpo do filho caído entre a cozinha e a sala acionou a equipe policial para ir até a residência dele na Rua Bahia no Bairro Marimbeiro. Ele relatou aos militares que estava desconfiado que alguém pudesse ter matado Reginaldo Rodrigues Leal, uma vez que tentou chamá-lo em sua casa e não foi atendido, sendo percebido que havia algumas marcas de sangue pelo corredor da residência.


Ainda segundo a Polícia, ao chegar ao local, juntamente com o pai da vítima, foi realizado adentramento no terreno do imóvel e comprovado que realmente havia marca de sangue pela casa e pela janela lateral, os militares avistou o corpo de Reginaldo caído ao solo, aparentando estar com parte dos braços queimados.


Ainda segundo a PM, o local foi isolado, preservado e foi acionado a Perícia Técnica junto a Polícia Civil da cidade de Três Corações. Várias equipes policiais compareceram ao local do crime e após confirmação de homicídio foram em busca da autoria.


A perícia realizou seus trabalhos de praxe, posteriormente liberando o local e os pertences da vítima para seus familiares na presença dos militares, inclusive um montante de R$ 550 que estavam no bolso da vítima, fazendo a apreensão de uma faca com lâmina de serra pequena e um isqueiro que estavam na cena do fato.


A vítima, jardineiro Reginaldo Rodrigues Leal, 30 anos foi encontrado morto na própria casa que vivia - Foto: rede sociais

Segundo informações da Polícia Civil, a suspeita que o crime seja passional, devido aos inúmeros golpes com um material perfurante, cortante, sendo desferidos no rosto, tórax, costas, pescoço e ainda por não ter subtraído o dinheiro que estava com a vítima. No local havia uma sacola plástica com lixos de lanches, onde foi informado pelo pai da vítima que ele costumava pedir sanduíches num estabelecimento, local onde a equipe policial compareceu. Em contato com o comerciante, foi relatado por ele que na data de sábado (25/09), por volta das 19h, Reginaldo fez um pedido de três lanches. Já por volta de 19h30 foi entregue, onde foi pago com cartão de crédito da própria vítima no portão de sua casa.


Segundo relatos de uma das irmãs da vítima, o Reginaldo era homossexual, mas era muito reservado e não contava sobre seus relacionamentos para ninguém. Ela ainda contou que um amigo estava com a vítima por volta de 18h30 em seu estabelecimento, que a vítima recebeu uma ligação e se despediu de todos, dizendo que iria para casa, pois “havia dado certo um esquema”, e que receberia visitas em casa, saindo logo em seguida.


Ainda segundo a Polícia, a vítima apresentava aproximadamente 15 facadas, mas após passar por exames de necropsia, foi constado 39 perfurações da mesma arma e queimaduras graves nos braços. Porque, após as facadas, o autor ainda colocou um cobertor sobre a vítima e tentou incendiá-la, queimando parte do corpo.


Foi apreendida pela Polícia Civil, papeis higiênicos que possivelmente foram utilizados pelo autor para se limpar, uma vez que estavam sujos de sangue e espalhados pela cena do crime. Havia ainda marcas de pegadas, aparentando ser de tênis, onde o autor andou pelos corredores e pelos cômodos do interior da residência da vítima.


A PM destacou também que após uma busca junto ao sistema informatizado da Polícia, foi verificado que a vítima não possuía antecedentes criminais que possam ter relação direta com o homicídio. Os militares não localizaram câmeras de segurança que pudessem auxiliar na elucidação dos fatos. O celular da vítima não foi localizado, podendo ter sido subtraído pelo autor como forma de destruir e/ou obstruir as provas e investigações, o qual tem a ligação recebida da suposta pessoa que iria visita-lo.


Após a realização dos trabalhos da Perícia, o local foi liberado para remover o corpo para o IML de Três Corações através dos serviços funerário Plasmap de Cambuquira-MG.


A Polícia Civil segue nas investigações e autoria do crime.


O velório foi na Capela da Plasmap e o sepultamento foi realizado na manhã desta segunda-feira (27/09), no Cemitério Municipal da cidade de Cambuquira-MG.


  

Nenhum comentário:

Postar um comentário